Pronto, já não é mais um monólogo... Mas sabe que do tempo pouco sei, pois as horas tem sido um falcão a mergulhar atrás de uma presa, do conhecimento. Ana D.Echabe

quinta-feira, setembro 23, 2010

Testemunha ocular

Passada uma lua
Dos segredos revelados
Dos meus lábios molhados
Na tua pele nua

Minha língua seguiu
A luz acoplada da lua
Desenhand
o cada curva
Cintilando corpo de prazer

Um comentário:

Pedrasnuas disse...

E A LUA ESTÁ CHEIA...FONTE DE INSPIRAÇÃO...PARA OS QUE SABEM SENTIR ...
BOM POEMA
CARINHOSAMANTE

P.N.

Cartão de Visita do Facebook