Pronto, já não é mais um monólogo... Mas sabe que do tempo pouco sei, pois as horas tem sido um falcão a mergulhar atrás de uma presa, do conhecimento. Ana D.Echabe

terça-feira, novembro 23, 2010

profundidade venturosa

Tudo acontece, no mais alto grau, de maneira involuntária, mas como se fosse em um temporal de sentimentos de liberdade, de incondicionalidade, de potência, de divindade...
Nietzsche em Ecce Homo

Serie “il Segreto”

Serie “il Segreto”

Notinha de pedido de desculpas as amigas que aqui gentilmente vieram deixar seus comentários no post que estava anterior, Profunda...Perfumada, pois equivoquei na postagem predisposta a esta exposição intitulada Segredos, em que direcciono o olhar as janelas e portas, Ying Yang, interior e exterior, enfim como retratamos este universo dentro e fora para o nosso mundo concreto seja ele na cidade ou no campo. Então a elas SuzanaLyli , Manuela Freitas e Miúda espero que compreendam e me desculpe mas tenho em meu arquivo seus comentário em que será postado em hora oportuna. Obrigada e espero o ritornello de vcs.

9 comentários:

Vieira Calado disse...

Olá, boa noite!

Olhe, acho esse quadro muito bom!

Equilibrado nas cores e formas, esbelto!

Saudações

AC disse...

Escolhe sempre palavras e imagens fortes. Não há hipóteses de resistência... Gosto!

beijo :)

Manuela Freitas disse...

Pensamento forte de Nietzsche, para reflectir!..
Gosto da fotografia, do contraste de tons e da musicalidade da água que ouço!...
Beijos,
Manuela


Não há problemas relativamente ao post.

Aleatoriamente disse...

Vim te deixar um beijo, um carinho.
Lindo o que vejo , o que sinto mas nada entendo de arte.
Mas acho linda essa foto, um residir no amor.
Acho linda.

Beijo amor.
Fernanda.

Lily disse...

Ana,

Agenda lotada por aqui, amanha farei um tour pelos enderecos dos amigos, mas ja deixo-lhe minhas palavras:

Amigos artistas prescindem de pedidos de desculpas. Nietzsche deixou as melhores palavras, ato, involuntario, Liberdade, incondicionalidade, potencialidade, divindade... Tudo, tudo que gira no mundo do artista e que esse tambem faz girar em contra-Ponto, contra-Censura, contra-Incompreensao.

Eh preciso dar ao artista liberdade total de expressao, para que ele escolha a melhor horario, a melhor cor, o melhor angulo e as melhores palavras.

Tuas fotografias sao para mim o mesmo que oleo sobre tela.

Beijos e obrigada pelo belissimo comentario!

Desnuda disse...

Amiga,

esta frase-pensamento é maravilhosa. A foto é linda ( lembrou-me um recanto de um hotel fazenda em Barra do Piraí...)

PS: Amei as suas palavras-oração e guardei. Obrigada.

Beijos com carinho e...Kokhmahá!

Lídia Borges disse...

A ilusão da Liberdade.

Deslumbrante, esta imagem. Real ou fictícia?

Valéria Sorohan disse...

É sempre com prazer que passo pelo seu blog, tanta belezas em imagens, como literárias. Gosto muito, querida.

BeijooO*

Vanuza Pantaleão disse...

Querida Ana,
O vídeo, imagem, Nietzsche, fluidos que vão nos penetrando sem nos apercebermos.Fazem bem.

Mestre Hermeto é uma aula de amor...eu o ouço sempre sem a menor dificuldade.
Beijo carinhoso e um ótimo final de semana!!!

Cartão de Visita do Facebook