Pronto, já não é mais um monólogo... Mas sabe que do tempo pouco sei, pois as horas tem sido um falcão a mergulhar atrás de uma presa, do conhecimento. Ana D.Echabe

sábado, setembro 11, 2010

Para atravessar contigo o deserto do mundo

Para atravessar contigo o deserto do mundo
Para enfrentarmos juntos o terror da morte
Para ver a verdade para perder o medo
Ao lado dos teus passos caminhei

Por ti deixei meu reino meu segredo
Minha rápida noite meu silêncio
Minha pérola redonda e seu oriente
Meu espelho minha vida minha imagem
E abandonei os jardins do paraíso
Cá fora à luz sem véu do dia duro
Sem os espelhos vi que estava nua
E ao descampado se chamava tempo
Por isso com teus gestos me vestiste
E aprendi a viver em pleno vento

(Sophia de Mello Breyner)






3 comentários:

Fa menor disse...

Aprender a viver em pleno vento... sim, é preciso. Para que o vento apenas nos beije e sussurre. No deserto do mundo.

Lindo poema! Boa escolha.

Obrigada.

Pedrasnuas disse...

NÃO É POR ACASO QUE ADORO A ESCRITA DE SOPHIA DE MELLO...E ESTA PREFERÊNCIA NASCEU BEM CEDO...COM "A CASA DA FLORESTA", "A MENINA DO MAR","A FADA ORIANA", "O RAPAZ DE BRONZE", "O CAVALEIRO DA DINAMARCA", "CONTOS EXEMPLARES"....E AS POESIAS...QUE FUI LENSO AO LONGO DA VIDA...CONSIDERAM-NA PERTENCENTE AO MODERNISMO...E JÁ ESTAMOS NO PÓS-MODERNISMO...MAS PARA MIM POUCO IMPORTA...ELA CONTINUA IMORTAL...

É PRECISO AMAR MUITO PARA DEIXAR TUDO POR ESSA PESSOA...SÓ POR UM AMOR IMENSO...VERDADEIRO...PORQUE ATRAVESSAR O DESERTO A DOIS ....É UM RISCO...É URGENTE A CONFIANÇA MÚTUA...

SURPREENDESTE-ME NOVAMENTE...BELA POSTAGEM.PARABÉNS!!!

CARINHOSAMENTE
P.N.

Anna Paula Bloise disse...

visite meu blog: http://annapaulabloise.blogspot.com/
bjos

Cartão de Visita do Facebook